quinta-feira, 6 de setembro de 2018

O clichês mais irritantes em romances chick-lits


Quem me conhece sabe que eu tenho uma relação de amor e ódio com os romances chick-lits. Eu já li alguns muito bons (hello, Sophie Kinsella) e também já me decepcionei feio com algumas histórias do gênero que, de alguma forma, todo mundo ama e venera. Por isso mesmo eu nem arrisco dizer que romances chick-lits são meu gênero literário favorito, mas, sem dúvidas, é algo que eu amo muito ler. 

Eu estava pensando nessa relação conturbada que eu tenho com o gênero e decidi listar as coisas que eu acho mais falhas e que, para mim, não cola muito bem e eu acabo não curtindo tanto assim a história.


A mulher que não para de reclamar da sua vida - do seu trabalho, do seu corpo, de seus relacionamentos

Esse é o clássico dos romances chick-lits e acho que é o que mais me irrita, pelo menos foi o que mais me irritou em O Diário de Bridget Jones, e eu sei que a maioria dos romances desse gênero acabam caindo nisso. Não estou dizendo que a personagem não pode reclamar - todo mundo reclama o tempo todo na vida real, eu sei disso. Mas a verdade é que me irrita quando eu vejo que a personagem é totalmente insatisfeita com sua vida 100% do tempo. 

Ela reclama do seu trabalho que é uma droga, ela reclama que só se relaciona com os caras errados, ela reclama de seu saldo bancário, reclama de sua família, reclama até mesmo de seus amigos. Haja reclamação! Nisso os autores sempre tentam lançar piadas e coisas engraçadas do tipo "olha como minha vida não presta" na tentativa de fazer os leitores se identificarem. 

Isso é uma opinião muito pessoal minha, mas é justamente porque eu acho extremamente negativa leituras assim. Eu quero chick-lits leves e engraçados e para isso acontecer a personagem também não precisa ter uma vida horrível o tempo todo, sabe? Ela pode ter dificuldades comum ao conquistar o emprego dos sonhos, por exemplo. 

O ponto alto do meu ódio por enredos que giram em torno de reclamação da vida é quando a personagem, além de reclamar o tempo todo, não faz nada para mudar sua situação. Ela reclama do trabalho, mas não faz nada para mudar, se destacar, conseguir uma promoção. Ela reclama de dinheiro, mas não economiza nada. Ela reclama de suas amigas, mas não se afasta de quem faz mal a ela.

O lado ruim de enredo assim é justamente reforçar estereótipos de que mulheres são reclamonas e não fazem nada para mudar, apenas gostam de reclamar da vida e são chatas.   


A mulher que só se importa com relacionamento romântico

Aqui está o ápice de minha irritação: quando a personagem passa o livro inteiro tentando encontrar um homem. Ou quando ela encontra um namorado e esquece de todo o restante da vida dela: suas amigas, sua família, suas ambições profissionais, os problemas da vida normal... Tudo passa a girar em torno dessa busca desenfreada por um relacionamento romântico ou então para manter o mesmo relacionamento. 

Eu sei que chick-lit é essa tentativa de buscar retratar a vida das mulheres de forma divertida. Mas eu acho um baita de um exagero quando parece que toda a vida da personagem se resume em um relacionamento romântico e parece que para ela não tem nada mais interessante do que o crush do trabalho ou então ela não para de falar um minuto sobre o cara lindo-de-morrer, mas que é super irritante.

E é aqui outra crítica minha, pois eu acho que é isso que justamente reforça estereótipos. Chick-lits normalmente sempre tratam de falar sobre a pressão para as mulheres arrumarem namorados, têm sempre aquelas cenas clássicas de reuniões familiares onde todo mundo pergunta sobre os namoradinhos, ou a mãe ligando para tentar arranjar a filha com o filho de uma amiga ou então as cenas em que todas as amigas da protagonista estão se casando, tendo filhos e ela continua solteira. 

O problema só é que dificilmente eu consigo ver uma crítica realmente a isso. As personagens reclamam disso tudo, mas elas continuam se sentindo infelizes enquanto estão solteiras e aí um cara aparece e puft, todos os problemas da sua vida estão solucionados e elas estão cantando e dançando com os pássaros no meio da rua.


As mulheres são sempre meio desequilibradas

Tá, ninguém é normal - eu sei! Mas uma coisa que me irrita profundamente em romances chick-lits é que as mulheres geralmente são bem desequilibradas. Parece que as autoras gostam de pegar uma má característica e sugar o máximo de cenas engraçadas que pode fazer daquilo, tornando a personagem caricato, sabe? E é assim que eu não consigo, de jeito nenhum, me identificar. Alguns clichês (irritantes) desse desequilíbrio é:

  • A personagem não consegue parar de gastar;
  • A personagem não consegue parar de beber/fumar o tempo inteiro, no livro todo;
  • A personagem é uma mentirosa de primeira; 
  • A personagem é completamente desesperada por casar; 
  • A personagem fútil que parece não ter nada na cabeça;
  • A personagem se apaixona perdidamente por qualquer cara, sem nem conhecê-lo direito.
Eu sei que essas características ajudam a compor uma narrativa bem engraçada às vezes. Mas, para mim, esse é sempre um problema quando acaba sendo totalmente focado nisso. Parece que a personagem inteira se resume a esses defeitos que deveriam ser engraçados e ela fica mais parecendo uma maluca que precisa urgentemente de ajuda de um psicólogo.

Para que nunca vamos encontrar nos chick-lits mulheres que são fortes e confiantes, mulheres que são equilibradas, mulheres inteligentes... Eu sei que existem romances do gênero assim, mas eu acho que é bem menos do que as narrativas exageradas que citei acima. 


O homem que a protagonista gosta é sempre um idiota

Cara eu não aguento mais ler crushs ridículos. Parece que toda protagonista de chick-lit gosta de caras idiotas que são grosseiros, que ficam enrolando a personagem uma vida para assumir algum tipo de compromisso ou, pior ainda, está em um relacionamento que parece que foi completamente obrigado a namorar/noivar/casar. Parece que o amor esses enredos é sempre uma caça, em que o cara é rendido por alguma arma letal da mulher. 

Eu quero ler romances em que os caras não são tão babacas assim, que não usam seu passado para justificar o fato de não terem a capacidade de se envolver emocionalmente, que não são absolutamente grosseiros e ridículos. Será que é tão dificil assim?! Fora que parece que é sempre a mulher que está correndo em busca de relacionamento. As mulheres dos chick-lits quebram a cara várias vezes, têm o coração partido em milhares de pedaços, mas parece que nunca sofrem com danos emocionais, nunca têm medo de se relacionar de novo. Mas o cara teve uma decepção amorosa e então acha que isso é desculpa para ser babaca sempre e nunca mais confiar o coração para ninguém.

Você pode até pensar:
Ah, Aléxia, mas a vida real é assim: cheia de homens nesse estilo!
 EU SEI! É justamente por isso que eu quero ler nos livros sobre homens incríveis que arranquem suspiros, que não são completamente idiotas em  98% das páginas dos livros.



Bom, apesar dos pesares, eu gosto muito de chick-lit, especialmente quando tem características positivas das mulheres: quando elas são inteligentes e determinadas, estáveis emocionalmente, não estou loucas a procura de um marido. É possível sim criar enredos assim que são divertidos. E eu, sem dúvidas, me identificaria muito mais e me sentiria bem menos ofendida do que ver todo o sexo feminino o tempo inteiro sendo retratado como desequilibrado.

Qual é o clichê de chick-lit que vocês mais detestam e qual livro indicam que não tem esses clichês? Estou precisando urgentemente!



15 comentários:

  1. Oi, Aléxia!
    Haha, eu entendo que chick-lits é pra quem gosta mesmo porque esses clichês podem sim irritar. Eu concordo com os três primeiros, principalmente porque raramente vejo um chick-lit onde uma protagonista tem o emprego dos sonhos ou não tenha algum problema. Elas sempre são pintadas assim, isso é fato, mas não é algo que eu me incomode, na verdade eu adoro essas abordagens porque acho que identifica com muita gente hoje em dia que ainda quer seu espaço e não conseguiu se mostrar ainda. Então por mim esses clichês sempre são bem vindos.

    Agora, eu concordo em boa parte em relação ao boy ser idiota. Tem histórias que geralmente são e outras que não. Geralmente as protagonistas acabam de sair de um relacionamento de anos porque o idiota a estava traindo, e ela acaba encontrando o amor em um cara super gente boa. Esse é o clichê a espeito do par romântico dos chick-lits.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. São mesmo bem irritantes esses clichês mas são necessários nos romances.
    Beijos
    Jana Makes Esmaltes e Cia
    Instagram
    Facebook

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lex!
    Acho que o que mais me irrita é o fato da mulher nunca aceitar seu corpo. Aliás, é extremamente difícil achar um livro em que a protagonista não tenha um corpo sensacional ou que tenha um mais ou menos (na visão dela) e que não reclame disso ou não sinta vergonha. Quem ama, ama de qualquer jeito e não só barrigas tanquinhos. Apesar de eu me identificar com elas, queria ler sobre uma delas que é feliz do jeito que é e não se importa com todo mundo falando que ela precisa emagrecer, sabe? Acho que isso levantaria o meu humor e de outras pessoas que se sentem tão horríveis em seus próprios corpos.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  4. Oi Aléxia, eu amo um clichê rsrsrs mas alguns irritam mesmo. Não aguento muito protagonistas que reclamam, são muitos chatos e mulheres desequilibradas tb são irritantes, principalmente as bipolares...

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lex! Tudo bom?
    Existem clichês e clichês, né? Tem uns que são tÃO MARAVILHOSOS e ai tem uns que blerg toda vez que aparece. Eu DETESTO romance que tem rivalidade feminina (principalmente quando é por causa do homem. A Carina Rissi adora escrever isso e eu quero chutar o livro pra longe sempre que vejo esse plot) e mulher com baixa auto-estima só pra ter aquele momento do cara falar que ela é linda e ela virar 'nossa sou linda mesmo que bom que você me falou isso' grrrrrrrr
    Adorei a listinha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Hey Lex! Tudo bem?
    Nossa mãe do céu, deu um embrulho no estômago só der ler os títulos dos clichês... Eu não curto romances justamente pela maioria ter pelo menos uma dessas temáticas que me irritam bastante.
    Obrigada pelo comentário.
    Tenha um excelente final de semana!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
  7. Oi Alexia!
    Eu não me arrisco muito em sicklists justamente por sempre ter na receita um destes itens que você citou, me irrita ver a mocinha se doendo por crush babaca e também as que reclamam, reclamam e parecem esperar as coisas cairem do céu enquanto tomam um martini ou cosmopolitan hahaha

    Adorei o post, foi bom saber que não sou a única que sofre com essas receitas furadas.

    Abraços,
    Jess
    www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lex!
    Menina, eu odeio Bridget Jones com todas as minhas forças. OK que odiar é uma palavra forte, mas eu não gosto mesmo desde pequena...
    Esses enredos aí também não suporto, principalmente sobre o macho idiota. Uma vez idiota, sempre idiota...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Adorei esse seu post, sabia? Gostei bastante de sua sinceridade!
    O mais me irrita nesse gênero é também a mulher sempre ser caracterizada como meio desequilibrada (¬¬), quando reclama sempre e faz nada para mudar, mas, principalmente, quando a mulher se doa de corpo e alma a alguém (um carinha idiota da po***) que não dá valor a ela em nada. Puts! Dá vontade de sacudir a personagem.
    Adorei o blog e já estou seguindo!
    Super beijo,
    Sâm.
    Blog Escrituras da Alma

    ResponderExcluir
  10. Oiii Lex

    O ultimo chick lit que li foi da Kinsella e o homem até que era bem fofo, nada idiota, mas realmente a grande maioria é bem bobão no gênero, não sei porque.
    Isso da garota ser meio histerica / desequilibrada me irrita demais, às vezes exagera essa pegada no gênero, e a insatisfação com tudo ao redor tb acontece bastante mesmo, acredito que os autores fazem isso pra dar um ar divertido, mas acaba ficando repetitivo demais quando a gente vê em quase todos os romances do gênero né?

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Alexia,

    Falou tudo!
    Uma das coisas que me irrita muito em clichês é a personagem se diminuir muito na história, e ficar reclamando de tudo. Algo que não suporto em romances.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  12. Olá, Aléxia.
    O gênero já foi meu favorito uma época da minha vida. E continuo gostando bastante. Não ligo para nenhum dos clichês que você citou, acho que é do gênero mesmo e quando leio já sei que vou encontrar eles. E tem um que eu amo que é a protagonista louca. Acho que esse é um dos motivos que leio Chick-Lit hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  13. É isso que me dá raiva na maioria dos livros de romance.
    Esses clichês me dão ânsia e não curto mesmo hahaha.
    Sem contar que é sempre o clichê para o lado da mulher. Quando o clichê é pra homem é sempre traindo, não valorizando ou coisa do tipo. Detesto.

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nossa, falou tudo! Clichê assim eu só gosto se tiver uma reviravolta no final que prove que o que aconteceu fez os protagonistas amadurecerem, pq se não fica bem After, livro bem bosta e idiota!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  15. NOSSA Alexia, vc resumiu muito bem, sério! kkk
    Todos esse clichês são desanimadores!
    Chick lit tbm n é um gênero 100% pra mim, mas Sophie Kinsella ♥
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir

BlogsBrasil