terça-feira, 4 de dezembro de 2018


Eu pensei seriamente em me fingir de desentendida e nunca mais falar sobre essa maratona em minha vida. Eu realmente estava confiante e super animada para ler vários livros nessa semana, porém, a vida aconteceu aí no meio. 

Sendo sincera: o único dia que eu realmente consegui ler a meta foi no dia 1º. O segundo dia eu tinha planos de ler à noite, mas com as minhas crises de enxaqueca, minha cabeça começou a doer e doer e o resultado foi que eu não li mais nada no domingo. No terceiro dia (ontem) eu estava bem mal emocionante, tive uns problemas pessoais que me deixaram muito ansiosa e eu acabei também não conseguindo ler. 

Por fim, hoje, quarto dia, eu tive que acordar bem cedo para fazer um exame meio chato e acabei, de novo, não conseguindo ler. Minha sorte foi só que li umas vinte páginas enquanto estava no trem, ainda na ida. Mas isso foi só por enquanto.

Isso significa que até o momento eu li apenas 184 páginas de Vinte Garotos no Verão - que era para ter sido concluído ontem. Ainda não comecei a ler nenhum dos outros livros e agora só falta dois dias para a maratona chegar ao fim. 

Por isso eu realmente estava pensando nas vantagens em fingir que essa maratona nunca existiu. Mas, por algum motivo estranho, eu decidi escrever esse post mesmo assim e contar do meu fiasco. 




O motivo para eu fazer esse post



Eu acho que a gente sempre tem que respeitar nossos limites - mesmo quando queremos muito que algo aconteça. Se for para além da nossa capacidade, não devemos ter vergonha disso. No segundo dia eu realmente não conseguia ler, queria muito mesmo, mas estava além de mim e se eu tentasse acabaria me fazendo muito mal. 

Há algum tempo atrás isso teria me deixado muito triste e desanimada. Mas nesses últimos tempos eu tenho aprendido que o mais importante não são os objetivos - mas sim quem eu me torno enquanto tento alcança-los. Eu sei que não vale a pena eu passar por cima de mim mesma apenas para provar algo para mim mesma (???). 

Não vale a pena eu ler um livro mesmo sentindo dor de cabeça e sofrendo com isso apenas porque eu me prometi que eu ia fazer uma maratona dar certo, sabe? Isso seria uma crueldade muito grande comigo. 

Isso sempre foi algo que fiz muito comigo mesma, especialmente quando se trata de leituras e metas. Mas agora eu estou aprendendo a ter uma relação mais saudável com isso. 

Tá tudo bem não atingir uma meta. Tá tudo bem ficar atrasada às vezes. 
O que não estaria bem seria eu me tratar mal.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Vira o mês de dezembro e tudo que passamos a falar é sobre o Natal. As comidas, os presentes, o clima natalino, o sentimento de gratidão por um ano que chegou ao fim (tenha sido ele bom ou ruim). 

Para quem ama livros, esse fim de ano tem sido um pouco complicado. Agora em 2018 a crise do mercado editorial aumentou muito, muitas livrarias fecharam, muitas editoras estão em estado financeiro preocupante e os nossos amados livros tem corrido grande risco. 

Com isso, está sendo lançada várias campanhas para incentivo à leitura e compra de livros no final do ano. Afinal, eles não são nem tão caros se comparados com presentes que costumamos comprar nessa época. Um livro pode custar o mesmo valor de um batom ou uma blusinha... E, vamos combinar, quantos benefícios há em ler, né?

Por isso, eu decidi fazer uma lista com diversos tipos de livros - para interesses e gostos diferentes - que você pode comprar de presente para dar no amigo oculto, para presentear o/a namorado/a, o vizinho, sua mãe, seu avô... Enfim! 

livros para presentear no natal

Para incentivar adolescentes a ler

Um romance super fofo para incentivar adolescentes que ainda não tiveram o prazer pela leitura despertados, é Fazendo meu Filme, da Paula Pimenta. O romance leve, a linguagem jovem e os interesses da idade farão qualquer adolescente se identificar e ficar viciado na série. Se a pessoa curte histórias de princesas e contos da Fadas, a Paula Pimenta também tem outros livros que são adaptações de histórias da Disney - uma delas (Cinderela Pop) vai virar filme ano que vem! ;)


livros para presentear no natal

Mas nem só de histórias leves vivem os adolescentes, vamos combinar. A Lista Negra, da Jennifer Brown, é um livro praticamente obrigatório para os jovens, que trata de temas sérios, como o bullying na escola. A história é super bem escrita, com narrativa envolvente e que traz muitos ensinamentos importantes. Cartas de Amor aos Mortos também é uma história adolescente que traz temáticas mais sérias e que vale muito a pena a leitura!

Uma autora que eu conheci na minha adolescência e que até hoje eu amo ler é a Sarah Dessen. Seus livros sempre trazem histórias que envolvem romance, amizades e dramas familiares. Cada um tem uma lição muito importante e é impossível você ler e querer largar ele no meio. O meu preferido, sem dúvidas, é Só Escute e eu sempre estou recomendando ele para todo mundo.

Comédias românticas divertidíssimas 

Eu amo dar risada com livros e tem dias que tudo que eu quero é sentar e ler uma história que me divirta bastante. Foi isso que aconteceu quando eu li Lembra de mim, um livro super leve e divertido que me fez dar risadas - mas trouxe umas reflexões bem bacanas também.

Minta que me Ama segue no mesmo estilo, mas tem um toque especialmente porque é uma história que se passa no Natal. E fala muito sobre a ideia de que a vida de todo mundo é perfeita nas redes sociais.

O Clube das Chocólatras é aquele livro que traz a história de quatro amigas - completamente diferentes, vivendo dramas, romances, desamores e em que tudo acaba em chocolate. E esse foi um dos livros mais divertidos que já li :P 

livros para presentear no natal


Romances

Sabe aqueles casais que nos conquistam totalmente, e aí a gente fica torcendo por eles e morrendo de medo que não dê certo o romance? Em Morgenstern é bem assim! Aí você acrescenta MMA, drama e um mistério e deixa o livro ainda mais emocionante!

Mas se você acha que a pessoa para quem pretende dar o livro prefere mais um romance de época, Liberte Meu Coração é uma opção bem diferente das comuns do gênero, mas maravilhosa! Um romance divertido, mas sem perder as qualidades de um bom romance de época!

E quem gosta daqueles romances em que o casal principal é cheio de química e um tanto problemático, Métrica é o livro ideal. Sério! É impossível não se apaixonar logo de cara por Will e Layken. Além disso, o livro tem aquele drama familiar que faz a gente se emocionar várias e várias vezes.


Outros gêneros

Esses falados até o momento são os gêneros que eu mais leio, então pude falar com mias propriedade de cada um deles. Porém, tem alguns outros gêneros que leio de vez em quando, como Suspense/Thriller Psicológico, Fantasia e Não-Ficção, que eu também tenho umas boas indicações e que eu acredito que são boas opções de livros para presentear no Natal. 

livros para dar de presente no natal

  • Suspense/Mistério:  Para quem curte aqueles livros de quebra-cabeça, em que você sempre tenta adivinha o final - e o final é tudo aquilo que você NÃO tinha pensado, eu recomendo muito Garota Exemplar. Esse é aquele livro que tem um baita plot twits. Mas, ele fez muito sucesso - tendo até filme! Então, muita gente já leu, já viu, já recebeu spoiler. Nesse caso, outro que li recentemente que envolve bastante mistério e que eu acabei curtindo muito foi  Em Águas Sombrias;
  • Fantasia: Esse ano eu li duas fantasias INCRÍVEIS, que são bem diferentes. A primeira foi Caraval, um livro que envolve mistério, magia, romance, uma dose de drama familiar e um tantinho de glamour. É aquela história que te faz viajar totalmente de tão bem descrita que são as cenas. A outra que me envolveu totalmente foi Alma?, uma história de fantasia sobre seres sobrenaturais na era vitoriana com muita tecnologia avançada. Ah, o romance aqui também é de arrasar os corações e a protagonista é a mais ácida/divertida da literatura. 
  • Não-ficção: Se você quer presentear alguém que tá passando por um momento super dificil na vida e quer um livro que ajuda a pessoa a encontrar mais esperança e fé, eu recomendo muito Plano B. Esse livro é fantástico e ajuda muito a colocar as coisas em perspectiva, nos auxiliando a encontrar paz em meio as turbulências. Como viver na era digital já é um livro de não-ficção super bacana para quem curte estudar mais sobre as mudanças que a internet tem provocado na humanidade e na construção de nossos relacionamentos. E fala bastante sobre tudo que caiu na redação do ENEM desse ano, viu?

Vocês tem dicas de livros para presentear no Natal também? E, aliás, já compraram algum livro para dar de presente nesse fim de ano? :) Deixa um comentário!

*Comprando os livros pelo link do post, você ajuda a manter esse espaço aqui funcionando! Escrever cada postagem daqui demanda bastante tempo e dedicação. Me ajude a manter o blog no ar ♥ Não custa nada a mais para ti, mas faz bastante diferença ;)

domingo, 2 de dezembro de 2018

Oi, gente!

Como o prometido, hoje eu vim aqui falar sobre foi o primeiro e o segundo dia da maratona literária. E, para quem não sabe, essa é a primeira maratona literária que eu estou participando/fazendo na vida. Quer dizer, no começo do ano eu me atrevi em uma, mas não levei a sério nem no primeiro dia, flopei total. 

Porém, dessa vez eu precisava que fosse diferente. Eu to com muitos livros aqui (físicos e e-books) que passaram o ano todo me atormentando, porque eu prometia sempre que ia lê-los e no final das contas não lia nada. Ou seja, acumulou tudo e eu quero estar em 2019 com minha consciência um pouco mais limpa e livre. Então, to levando mais a sério a maratona dessa vez.

O quanto eu li até então   

Eu tinha feito os cálculos e descobri que precisava ler 122 páginas por dia para conseguir atingir a meta. Isso é bastante, especialmente levando em conta que no Skoob, aparentemente minha meta diária de páginas esse ano foi de 30 por dia. Mas não me intimidei.

Ontem (1º dia) eu li 124 páginas e hoje eu só li (ainda) 24 páginas, mas pretendo ler mais antes de dormir e atingir a meta (no quarto dia de maratona eu apareço aqui e falo se deu certo ou não :P).

Até o momento eu só estou lendo o livro Vinte Garotos no Verão, que estava encalhado na estante há uns meses. Eu me interessei pelo livro, mas comprei mais no impulso porque estava bem barato em um sebo (só R$3!). Mas eu acabei me surpreendendo um pouco com a história. Por enquanto estou gostando, a escrita da autora é bem fluida o que ajuda muito a ler mais rápido.

SINOPSE: Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá). As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.

sábado, 1 de dezembro de 2018


Recentemente eu li um texto muito bacana da Naiara Aimee no Instagram falando sobre como as resenhas podem influenciar algumas pessoas a ler ou não um livro. No texto, ela diz que raramente uma resenha negativa a fez perder o interesse em ler uma história que ela queria muito ler e deixou o questionamento em aberto para seus seguidores responder, o quanto nós somos influenciados?

Eu fiquei com isso na cabeça por dias. Na verdade, não exatamente pelo questionamento em si. Eu sei que eu sou realmente bastante influenciável por uma resenha. Mas fiquei pensando sobre o que isso significava de fato - será que é algo ruim realmente ou algo bom? E até onde uma resenha nossa pode mudar completamente a experiência literária de outra pessoa? 

Desde sempre as pessoas sempre buscaram conhecer os comentários de outras pessoas sobre alguma coisa antes de comprar/usar. Os jornais sempre tiveram espaços para reviews sobre livros, filmes, peças de teatro e até mesmo culinária, restaurantes e etc. A resenha sempre foi algo muito importante para nos ajudar a decidir se deveríamos dar uma chance a tal lugar, a tal história, a tal obra. E agora vemos isso com força total nos blogs e canais literários no Youtube.

Mas será que isso se tornou realmente algo tão negativo? Ser influenciado é algo tão ruim?

Sendo influenciador


Acho que seria um mito muito grande a chance achar que nunca estamos sendo influenciados - e que também não somos influenciadores! Mesmo que você não tenha um blog, só de comentar sobre determinada coisa nas redes sociais você pode estar influenciando uma pessoa - e isso pode ter muitos efeitos. Pode ser que você influencie alguém a comprar um livro bacana; pode ser que você influencie alguém a ter uma conclusão precipitada sobre algo que ela ainda não leu/testou.

Já publiquei resenhas negativas em que tive os comentários mais diferentes: havia pessoas que falavam que o interesse em se manter na história se manteve, mesmo com meus comentários, e que tentaria ainda assim dar uma chance ao livro; outras pessoas já falaram que passariam longe dessa história e não iria ler de jeito nenhum.

E por isso eu sempre tento muito esclarecer da melhor forma possível porque eu não gostei do livro e como esses pontos foram negativos para mim. Cada pessoa tem um gosto diferente e vê um livro por diferentes aspectos. É importante, nós, blogueiros, respeitarmos isso. Talvez uma falta de diálogos em um livro pode ser algo que me irrite muito, mas para outra pessoa pode não ter diferença. Alguém pode se irritar muito com um livro de linguagem mais rebuscada, enquanto outra pessoa amaria uma história contada assim. Varia muito de cada pessoa!

Então, eu sempre busco deixar claro nas resenhas negativas porque eu não gostei - se a pessoa ver que ela tem gostos parecidos com o meu, ela perceberá que para ela esse livro pode também não funcionar bem, mas se ela tiver gostos diferentes ou não ligar para determinados aspectos que destaquei, o livro pode ser uma ótima opção de leitura para ela.

Sendo influenciado


Eu, particularmente, quando vejo muitas resenhas negativas sobre um livro e acabo lendo, raramente consigo ter uma boa leitura. Começo a ver na história os pontos que foram mostrados naquela resenha e, sim, talvez isso fosse algo que sozinha eu não me daria conta. Isso é ruim? Acredito que depende muito de como você encara essa influência e com qual frequência ela ocorre.

Recentemente, eu li o livro Novembro, 9 e resenhei aqui. A Denise, do Queria Estar Lendo, também leu a história e nós não poderíamos ter tido impressões mais diferentes sobre os mesmos acontecimentos. Só que ao ler a resenha da Denise, eu percebi que ela tinha muita razão sobre a problematização levantada sobre Novembro, 9 e eu percebi que quando li O Lado Feio do Amor, outro livro da Colleen Hoover, minha visão estava bem influenciada por causa da resenha da Denise, acerca do outro livro da mesma autora. E isso não foi algo ruim. Eu senti que eu aumentei o meu senso crítico que não estava tão bom assim e consegui enxergar problemas que antes passaram despercebidos - mas que eu realmente não queria que passassem.

Acho que essa é a grande questão de uma resenha: ela te faz ver as coisas por outro ângulo, através de outro ponto de vista. Às vezes isso pode ser algo ruim, mas pode também ser algo muito bom. Sobre o quanto nós somos influenciados, não saberia te dizer, pois cada pessoa reage de uma forma completamente única a uma crítica (positiva e/ou negativa).

Eu vejo que muita gente vive com medo de confessar que é influenciado. Mas isso é a verdade. Quando lemos uma crítica e queremos ler o livro, somos influenciados da mesma maneira quando lemos uma crítica negativa e não queremos ler a história. Não há problema nisso. O problema é quando deixamos que todas as nossas opiniões sejam moldadas por outras pessoas e acabamos perdendo a noção sobre o que nós realmente gostamos ou não. 
Você também percebe essa influencia em suas leituras? Ou é algo que não te afeta muito? E como você lida com toda essa questão de influenciar e ser influenciado?


quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Eu nem acredito que já estamos na última semana de Novembro! Esses três últimos meses do ano sempre passam voando, né? Eu pisco o olho e pronto parece que está cada vez mais perto de virar a folhinha anual do calendário. 

Esse foi um ano muito intenso para mim em vários aspectos. Tive altos e baixos tão discrepantes que chega é assustador fazer uma retrospectiva mental. Um dos baixos foi justamente não ter conseguido atingir a minha ousada meta de 80 livros

Mas, quer saber? Tá tudo bem também. A gente não lê para acumular um número de páginas e sim para sentir alegria e prazer em conhecer tantas histórias incríveis, né? Porém, como tá tudo muito corrido, ultimamente tem sido dificil conseguir tirar um tempinho para apreciar boas leituras. 

Por isso - pelo prazer de ler e me dar esse gostinho, não pela meta em si - eu resolvi fazer uma maratona literária para mim de 6 dias. Quero finalmente ler os livros que já estão sendo adiados e conhecer as histórias que estava enrolando começar. Quer embarcar comigo? Eu vou amar! <3

O que vou ler na maratona?

maratona literária

Pretendo fazer diário de leitura aqui nos dias: 02, 04 e 06/11 para mostrar como tá sendo toda a maratona. Com certeza eu iria colocar lá no Twitter como está sendo, quando eu vou ler, qual livro e minhas considerações também, por isso, me sigam lá! ♥ A minha meta é conseguir ler 3 horas por dia, a cada dia de maratona. Isso contabiliza de 18 horas ao total desses dias. Será que eu consigo?



Eu pensei ainda em colocar mais um livro, para caso eu conseguisse ler tudo isso. Porém, analisando bem a situação eu duvido muito que eu vá conseguir ler mais uma história com mais de 200 páginas. Então, vou abaixar um pouco a bola e tentar fazer isso aí que já está bastante hahaha.

Eu espero conseguir atingir essas metas e, caso você queira embarcar junto nessa comigo, comenta aqui ou me manda uma mensagem (pode ser pelo Twitter ou então no Instagram) para fazermos juntos essa maratona! ♥ 

 Você tem costume de fazer maratonas literárias? Deixa um comentário com dicas para mim!

BlogsBrasil