sábado, 29 de setembro de 2018


Emily Giffin é uma das autoras que eu sempre tive curiosidade em ler, especialmente por ouvir tantos comentários positivos sobre sua narrativa, seus personagens e suas histórias. Quando vi seu livro Questões do Coração no sebo por R$:5, eu o trouxe para casa sem pensar duas vezes e nem ler a sinopse direito.


Título: Questões do Coração
Autora: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Páginas: 440
Ano: 2011
SKOOB | AMAZON

A história começa com o jantar de aniversário de casamento de Tessa e Nick, quando seu marido, que é um renomado cirurgião pediatra, é chamado para uma emergência e tem que sair correndo do restaurante. A criança em questão é Charlie, filho de Valerie, uma advogada e mãe solteira que exclui todos de sua vida, seja relações amorosas ou simples amizades.

Embora Tessa confie de olhos fechados em seu marido e sempre tenha entendido muito bem que a profissão dele exigia sacríficos, ela começa a ficar desconfiada com o distanciamento dele, a falta de intimidade dos dois e a falta de um carinho especial que parece ter sumido desde o momento em que ela decidiu abandonar sua carreira, ter mais um filho e ser mãe em tempo integral.

A situação do casamento de Tessa se agrava quando Nick, Valerie e Charlie parecem se aproximar ainda mais, mesmo sem ela saber disso. Charlie começa a ver em Nick o pai que nunca teve a chance de conhecer, e Valerie começa a vê-lo como um porto seguro em meio a tempestade em que vive sozinha.

As pessoas que você mais ama são as mais difíceis de manter por perto

A narrativa da história, que é leve e fluída, é alternada entre o ponto de vista de Tessa, narrado em primeira pessoa pela mesma, e o ponto de vista de Valerie, que é narrado em terceira pessoa. Eu gostei bastante dessa forma de contar a história, pois dá para ver o ponto de vista de ambos os lados.

Os personagens são muito bem construídos e reais. Tessa é uma mulher inteligente e forte, mas que decidiu abandonar seu emprego como professora para cuidar das crianças quando teve seu último filho, mesmo com todos os avisos de sua mãe afirmando que seu casamento acabaria se ela fizesse isso. Obviamente ela não deu ouvidos, pois Nick sempre demonstrou apaixonado pela esposa e a família que construiu. No entanto o casamento deles vai ficando cada vez mais frio, sem o amor e paixão que antes pareciam esbanjar.



Valerie é uma mãe solteira e uma advogada bem sucedida, mas quando seu filho de 6 anos sofre um acidente em uma fogueira na casa de um coleguinha, suas estruturas se abalam. E mesmo com uma forte regra de não deixar as pessoas entrarem em sua vida e bagunçarem tudo, ela permite que Nick comece a criar laços.

Confesso que em muitos momentos da história eu não sabia de quem ficar com raiva e de quem ficar do lado. Pois é isso que a autora faz: ela nos mostra que ninguém é inteiramente bonzinho ou mau. As pessoas tem seus nuances e, assim como elas, seus relacionamentos funcionam da mesma forma. O casamento de Tessa e Nick está em crise - mas não há um grande vilão, pois cada um tem sua parcela de culpa.

O ódio que me dá força. “Não é assim que deveria ser”, pensei. O ódio não deve nos deixar mais fortes. Mas é isso o que ele estava fazendo.

A história tem um desenrolar bem natural e interessante e, embora o livro seja grande (440 páginas) , eu realmente não achei que foi tedioso ou monótono. Os acontecimentos foram se desenrolando devagar de uma maneira que foi mostrado como determinadas coisas simplesmente acontecem, não por conta um erro de um só, mas uma sucessão de más decisões. Determinadas coisas não acontecem do dia para a noite e sem motivação, mas tudo tem um começo, um ponto de partida. Na verdade, acredito que esse tenha sido o ponto chave do livro: nada é apressado ou forçado.

Pensei em como cada pessoa em um casamento deve à outra a procura pela felicidade individual, mesmo em uma vida compartilhada. Que essa é a única maneira de crescerem juntas, e não separadas.

Além disso, os personagens tem um crescimento e amadurecimento muito grande na história, e ela nos consegue passar boas lições sobre o amor, sobre casamento, amizades e desenvolvimento pessoal (mas nada em um nível de autoajuda, prometo). A história e os personagens são muito bem trabalhados, e o final é bem real.

Minha nota 4 se deve ao fato de eu ter odiado muitos acontecimentos, ter odiado bastante o Nick e ter achado que algumas coisas poderiam ter acontecido de uma forma diferente. Também faltou um ingrediente a mais no livro para me prender e emocionar, para me deixar com as emoções à flor da pele, como o enredo parecia prometer. O livro foi uma boa leitura, me prendeu, me conquistou, ensinou, mas foi morno.

Nota: 4/5 

Entenda as notas: 1 - Ruim, péssimo;  2 - Médio, regular; 3 - Bom, legal;  4 - Muito bom;  5 - Ótimo, incrível; ♥ - É um dos meus preferidos
 Quer acompanhar minhas leituras? Me adiciona/segue no skoob!

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Eu sempre fui uma leitora mais tradicional, do tipo que prefere livro de papel, com páginas amarelas de preferência. Mas de uns tempos para cá tenho percebido que as tecnologias são muito úteis para nós, leitores, e que é muito bom poder deixar o medo de lado e começar a conhecer e testar coisas novas, como um leitor digital ou até mesmo os audiobooks.


Acho que só de falar em audiobook alguns leitores podem torcer o nariz e pensar que jamais irão aderir a essa "moda". Eu também era assim, até começar a ler mais sobre e conhecer a plataforma Ubook.

Antigamente o audiobook era muito mais comum. Lembro disso porque quando era criança meus pais ganharam um CD (que, inclusive, era gravado pelo Silvio Santos) e um livrinho infantil do Patinho Feio. E eu amava! Também era muito comum material de apostilas de cursos terem CDs gravados, para ajudar no aprendizado e memorização. Afinal, você lia o conteúdo e, depois, ouvia tudo aquilo que tinha lido.

Mas com a internet acho que isso acabou se perdendo por um tempo e agora está voltando com mais força. No audiobook, os livros são gravados na íntegra, podendo ter somente um narrador (uma única voz para todo livro) ou várias vozes diferentes. É uma forma mais fácil e prática de você conhecer novas histórias e ótima opção para quem anda sem tempo de ler!

As principais vantagens do audiobook/audiolivro

Como disse, para quem está sem tempo para ler, o audiobook é uma solução maravilhosa. Você pode ouvir o livro fazendo praticamente qualquer coisa: enquanto lava a louça, limpa a casa, almoça, faz caminhada... Basta colocar o livro no seu celular ou computador e fazer suas atividades enquanto ouve a história. 

Você também pode aproveitar a praticidade do audiobook pela questão de que ele não pesa - afinal, basta você coloca-lo no seu celular, e pronto! Tem um livro completo sem pesar nadinha. Ótimo para o dia a dia, quando for para o trabalho/faculdade e precisar pegar o transporte público. 

Além disso, muitas pessoas ficam enjoadas e se sentem tontas quando leem em movimento, como dentro do ônibus, trem ou metrô. Com o audiobook isso nem é mais um problema!

Uma outra vantagem do audiobook é para quem tem dificuldade em ler clássicos. Tem alguns livros que parece que a gente gasta horas lendo, mas não consegue passar da décima página, especialmente livros mais antigos. Com o audiobook, você começa a ouvir o livro e nem percebe o tempo passar. É uma ótima forma de conseguir conhecer essas histórias sem precisar lê-las, de fato. Ótimo especialmente para quem precisa ler os clássicos que caem nas provas de vestibular!



  • O audiobook não é coisa de preguiçoso!
Muitas pessoas acham que só porque alguém opta por ouvir os livros em vez de ler da forma tradicional, isso significa que ela é preguiçosa. Mas a questão não é essa. 

O livro em áudio é uma solução muito boa para diversas pessoas, com quem sofre com problema de visão e sente muita dor d cabeça se for ler por muitas horas seguidas. Também tem pessoas que tem muita dificuldade em ler por não conseguir se concentrar direito - e isso pode acabar sendo quase uma tortura. Ou então quando chega o final do dia e você está super cansado para poder ler qualquer coisa - mas ainda assim não quer deixar de lado aquela história. 

Se você não gosta de audiobook, tudo bem. Não é necessário ouvir os livros, você pode ler normalmente - seja no papel ou em um leitor digital. Mas é muito importante abrir mão desse preconceito a respeito de quem tem visto nos livros em áudio uma opção mais viável de leitura, sabe? 

Onde encontrar livros em áudio?

Quando eu comecei a estudar inglês e ler Crepúsculo em inglês eu ouvi o áudio do livro no Youtube. Vi que tem um canal que colocou toda a saga em inglês lá, disponível. Porém, embora tenha sido uma grande ajuda, não é muito prático. 

Primeiro, o Youtube é horrível para ouvir no celular, pois gasta muita bateria e você não pode mexer em mais nada enquanto ouve. Segundo, tem pouca variedade de coisas para ouvir por lá. E algumas nem são legalizadas - então, ao ouvir esse tipo de conteúdo, você está contribuindo com a pirataria. Nada legal, né?

Qual a solução, então?

Não sei se você já ouviu falar da plataforma Ubook. É um site/aplicativo que tem uma variedade gigante de livros disponíveis em áudio e também em e-book! Além de livros de diversos gêneros, também tem revistas, podcasts e até mesmo cursos! Ou seja, é quase um paraíso do audioentretenimento. Você pode baixar o aplicativo para Android ou iOS ou então ouvir no computador.

O lado bom é que realmente tem muita variedade na plataforma. Tem desde os livros mais clássicos, como Jane Austen e Machado de Assis, até livros mais atuais, como Carina Rissi e Paula Hawkins. Também há audiobook em inglês e, inclusive, há diversos títulos da Julia Quinn disponíveis lá, o que é uma excelente forma para quem está querendo estudar e praticar.







Tem muitos títulos legais, né? As editoras têm investido bastante em colocar seus livros lá, especialmente a Record, Valentina, Jangada e outras. Lá tem algumas séries, como Perdida, de Carina Rissi, a trilogia Diário de uma Garota Alquimista, e a série A Garota do Calendário, que estão completas!

Autores nacionais também tem feito isso e é uma boa forma de ganhar dinheiro com seus livros, caso você seja independente! No final da página, no site, tem todas as informações para você publicar seu livro Ubook também

Quanto custa?

O Ubook funciona como uma Netflix, através de assinatura mensal. E tem diferentes tipos de planos, que vão desde R$29,90/mês a R$69,90/mês. Os planos mais caros também, a partir de R$39,90/mês, são por causa do envio de um livro físico por mês e também tem o acesso ilimitado a todo o conteúdo de e-book. Mas, o mais barato, tem muitas vantagens também: você tem acesso ilimitado a todo o conteúdo em audiobook, modo de reprodução off-line e também você tem 7 dias grátis para experimentar! Vale a pena conferir lá no site, né? Acesse aqui!

Você já tinha pensado na possibilidade de usar audiobook? Gostou da dica? Deixa seu comentário!

terça-feira, 25 de setembro de 2018

frases do livro o outro lado do mundo

Faz um tempão que eu não trago mais postagens sobre frases de livros, né? Eu geralmente gosto de trazer esse tipo de postagem quando eu leio algo que tem muitas frases marcantes, pelo menos mais de dez citações. E, nem sempre, eu lembro também de marcar as frases nos livros enquanto leio, geralmente isso é mais fácil quando estou lendo pelo Kindle. E foi o que aconteceu com a leitura de O Outro Lado do Mundo

Eu já contei na resenha dele o quanto eu amei o livro. É cheio de sensibilidade e muitos ensinamentos incríveis. Realmente aquela leitura que faz você viajar - em muitos sentidos diferentes, rs. E que você termina pensando em várias coisas que quer colocar em prática em sua própria vida. O mais legal é que a história também rendeu muitos quotes e citações que eu quero compartilhar com vocês em um post só para isso. E fico feliz demais em ver um livro nacional ganhando uma postagem aqui nessa categoria do blog.

__________


"Quebrar a cara não é e nunca vai ser sinal de fracasso, ouviu bem? O erro está em se acomodar.

"Esse mundo é cheio de dificuldades, Aurora. Cheio de decepções, medos... Até que você encontra um outro lado diferente. Um lado oposto a tudo isso. Aquele que faz você encarar tudo com força e te faz ver que a vida vale os sacrifícios, apesar de tudo. "

frases do livro o outro lado do mundo
"Cicatrizes profundas são eternas, mas isso não quer dizer que as feridas que as causaram devam doer para sempre."

"Acontece que as pessoas descobrem que uma determinada coisa não é para si mesmo que adore ela, não é?"

"É incrivel como algumas coisas ficam bem melhores quando permanecem apenas na sua cabeça e não sendo ditas em voz alta."

"É preciso amar muito para mandar para longe uma pessoa que sempre quis por perto só para vê-la ser feliz."

"Cada pessoa provavelmente já precisou destruir um sentimento dentro de si para priorizar algo que julgou mais importante. "

"A noção de realidade tem esse hábito estranho de vencer os entusiasmos da vida."

"Só porque alguém não demonstra, não quer dizer que também não tenha seus próprios fantasmas."


frases do livro o outro lado do mundo
"Tudo é tão relativo, Aurora... Até erros definitivos podem acarretar coisas boas que não existiriam com um acerto."


"Você não vai conseguir mudar nada do que já aconteceu na vida dos outros e insistir em tentar é uma droga, então preste atenção na sua."

"Esse não é um panorama confortável. Imaginar que em meio a tantas decisões que tomamos o tempo inteiro possa haver aquelas que, se não formos cuidadosos, tornam-se decisivas no rumo de nossas vidas, torna tudo mais intenso."

"Porque isso é amor: o companheirismo, apoio incondicional, cuidado. O resto não deve passar de paixões fulminantes capazes de nos deixar cicatrizes profundas. Amor não deixa cicatrizes, as cura. E, acima de tudo, amor pode ser construído."

"- Quero propor um brinde. [...] Ao presente. Porque, apesar de às vezes ser esquecido, ele é ainda o mais importante de todos. "

"Talvez seja loucura, talvez seja um desejo impossível testando minha obstinação... Ou talvez seja apenas amor. Puro e total. Cheio de seus erros e acertos, como deve ser."

frases do livro o outro lado do mundo
"Não cabe a mim julgar uma situação que não vivi e que não é minha."

"Nem a vida e nem os fracassos amorosos são feitos de conspirações e acontecimentos mirabolantes e, sobretudo, não são feitos de vilões e mocinhos bem delimitados. Tudo simplesmente vai acontecendo e nós temos nosso próprios vilões dentro da gente."



"Você não tem o poder de fazer alguém ficar, mas tem o de escolher como vai lidar com a despedida. "

"- Ajudaria se fosse possível saber quais de nossas decisões de agora são candidatas ao título de erro no futuro - volto a participar da discussão.
- Não é difícil. - Helen arremata. - Geralmente são aquelas que não dão ouvidos ao coração." 


Gostaram das frases? Eu espero que sim! Se você tiver interesse em ler o livro, super recomendo! Está bem baratinho e também disponível para Kindle Unlimited!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018


Amaldiçoadas é o segundo livro da trilogia d'As Cronicas das Irmãs Bruxas, escrito pela Jessica Spotswood ele foi publicado aqui no Brasil pela editora Arqueiro. Se você está lendo essa resenha, mas não conhece a série, e muito menos leu o primeiro livro eu recomendo que saia correndo desse post e vá para esse, que é a resenha do primeiro livro da série, já que essa resenha aqui contém spoilers de Enfeitiçadas.


Título: Amaldiçoadas 
Autora: Jessica Spotswood
Editora: Arqueiro
Páginas: 287
Ano: 2014
SKOOB - AMAZON


Com o final de Enfeitiçadas fica impossível o leitor não desejar Amaldiçoadas. A história continua pouco tempo depois que Cate foi para a Irmandade e a história é bem morna no começo, por assim dizer. Aos poucos o livro vai se desenvolvendo, já que a autora vai apresentando um pouco sobre o universo da Irmandade, sobre como são as Irmãs e como tudo aquilo funciona. Enquanto Cate tenta lidar com colegas invejosas e sedentas por poder, ela tem que lidar com os próprios sentimentos e começar a fazer, novamente, escolhas que mudará tudo.

"Três irmãs - reflete Brenna.- Uma traz cura e morte. Uma traz destruição. A mais forte vai trazer paz, mas isso vai exigir sacrifício. É isso que a profecia diz."

A diretora da Irmandade está morrendo e outra Irmã ficará em seu lugar, mas somente até a bruxa mais poderosa se revelar. A bruxa mais poderosa também é um oraculo, ou seja, ela tem visões e sabe o que acontece no futuro, por isso é tão valiosa. Por ser mais velha todas as apostas caem sobre Cate, mas será que realmente é ela? E será que ela tem condições de liderar todas aquelas bruxas? E o seu futuro com Finn, será que realmente acabou? Essas são questões que não saem da cabeça de Cate.



Nesse livro o romance sai de foco e tudo fica envolta da irmandade (mas não se assustem, o romance continua...). O livro vai mostrando o conflito de interesses entre o poder e as decisões que precisam ser tomadas. O mais interessante é ver como a Cate começa a lidar com cada uma delas, fazendo algumas escolhas erradas, outras certas... Além disso Cate tem que lidar com a profecia de que uma das três irmãs será assinada pela outra, e para isso ela tenta manter tudo em paz entre elas, mesmo com Maura tomando decisões erradas e escolhendo o lado negro da irmandade, digamos assim.

Esse é um típico segundo livro de trilogia, onde não acontece muita coisa e é mais uma ponte do primeiro para o terceiro livro. O conflito entre Maura e Cate está ainda maior e cada vez mais conseguimos ver do que Maura é capaz. Enquanto isso também temos uma divisão dentro da irmandade, e cada uma vai ter que escolher um lado.


A fúria aparece no rosto de Maura. Minha irmã já se irritou comigo mais vezes do que sou capaz de contar. Ela já agiu com desprezo, rejeição e ciúme. Mas nunca olhou pra mim desse jeito. 
Como se me detestasse.


É muito difícil falar do livro sem dar spoilers, porque o livro é todo cheio de surpresas, e mesmo as do comecinho, se eu contar irá estragar e vocês não terão a mesma reação que teriam se eu não tivesse contado, né? Mas posso garantir que o livro é uma caixinha de surpresa e todo capitulo tem algo novo, e apesar da leitura ser mais lenta, ela se desenrola rápido e é igualmente boa.

Para mim ainda é um grande mistério saber como a Jessica consegue manter um ritmo tão maravilhoso e criar personagens tão reis, cheios de falhas, defeitos, e qualidades, que em conjunto formam pessoas maravilhosas. O livro no começo não tem muitas emoções, mas conforme a história se desenrola e as coisas vão acontecendo, começa todos aqueles sentimentos: alegria, tristeza, confusão, ansiedade... É uma livro que me faz vibrar e ficar com frio na barriga em cada cena de suspense. O livro tem uma narrativa maravilhosa e uma história muito bem elaborada, onde cada detalhe se encaixa perfeitamente, sem ficar nenhuma ponta solta na história.

Nota: 5/5

Entenda as notas: 1 - Ruim, péssimo;  2 - Médio, regular; 3 - Bom, legal;  4 - Muito bom;  5 - Ótimo, incrível; ♥ - É um dos meus preferidos
 Quer acompanhar minhas leituras? Me adiciona/segue no skoob!

sábado, 22 de setembro de 2018

Abandonar livros é um assunto muito delicado. Eu particularmente tenho uma relação dificil. Às vezes eu nem penso duas vezes antes de abandonar uma história, especialmente se ela está romantizando coisas erradas. Outras vezes, eu fico com muita pena de ter que deixar um livro de lado, especialmente quando o único motivo é porque está chato, maçante. 

A questão é: eu já abandonei muitos livros, bem mais do que eu gostaria. E, inclusive, esse ano eu acabei deixando um monte de livros de lado :( Vou contar aqui os 10 livros que eu abandonei e os principais motivos.

Como ter uma vida normal sendo louca, de  Jana Rosa e Camila Fremder

 Eu comecei a ler esse livro no começo do ano e, sério, parecia que meus olhos iam sangrar a qualquer momento. Eu até hoje não entendi qual o motivo desse livro existir! É um livro de humor, com dicas para mulheres e todo o livro tem 208 páginas, mas eu não consegui passar da página 50. Achei fútil demais, muito mentiroso e ainda reforça estereótipos e preconceitos (todas aquelas piadinhas sobre o corpo acima do peso? sério?). Se a ideia era ser sarcástico, eu não peguei. E, mesmo se fosse, foi muito insensível. Achei um grande desserviço.

O Diabo Veste Prada, de Laureen Weisberger   

O Diabo Veste Prada é um dos meus filmes preferidos. Logo, quando peguei o livro para ler achei que iria ser uma grande paixão. Mas não foi. Olha, eu juro que tentei e muito ler o livro todo, mas a impressão que eu tinha era que eu lia horrores e não passava nem dez páginas.  Cheguei a ler metade, mas não consegui concluir. Achei a história diferente do filme, em vários aspectos. O livro é bem mais lento, a escrita não foi muito fluida... Enfim, abandonei e acho que não tenho coragem de pegar para ler de todo.


O Mundo de Sofia, Jostein Garder

Eu já tentei ler esse livro, pelo menos, umas seis vezes. Desde 2011 eu tento ler, sério! Eu gosto da história, acho interessante, mas quando chego na metade (e sim, eu sempre paro na metade!!!), eu não consigo continuar, começa a ficar chato, maçante, eu dou uma pausa e volto a ler meses depois, aí tenho que ler do inicio e novamente não consigo terminar. Eu gosto de filosofia e acho muito legal a forma como o autor trata o tema, mas para mim é um livro que nunca funcionou bem :(


Julieta Imortal, de Stacey Jay

Eu sempre tenho interesse em ler histórias que são releituras modernas de histórias muito conhecidas. E quando comprei Julieta Imortal fiquei super animada porque todo mundo dizia maravilhas do livro. Mas foi só começar que eu fiquei decepcionada. Acho que o problema nem é tanto o livro, mas o meu momento. Se eu tivesse lido alguns anos atrás, quando amava ler Crepúsculo, eu teria gostado. Mas lendo atualmente achei muito bobo, mal construído, com os personagens bem irritantes. Eu queria muito terminar, mas não deu!

Outras palavras para o amor, de Lorraine Zago Rosenthal 

De todas as decepções, acho que essa foi a pior. Eu queria tanto esse livro, há anos, que quando vi em promoção nas Lojas Americanas comprei imediatamente. Mas o livro me fez tão mal que eu fiquei em uma ressaca literária de meses - e não consegui nem terminar de ler. Eu achei a história muito negativa, a personagem principal é sempre muito falsa e tem inveja da irmã mais velha, além de ficar desejando o marido da irmã! Ou seja, muita coisa pesada para uma pessoa. E só de ler eu fiquei me sentindo mal. Parece que sugava minhas energias.

 As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky

Logo quando o filme estava para ser lançado, eu tentei muito ler As Vantagens de Ser Invisível e não consegui. Se não me engano, eu li quase até metade. Mas o livro estava me deixando muito mal, meio triste, para baixo e etc. O problema não foi exatamente o livro, mas sim a minha experiência com ele, como eu me senti lendo. E desde então eu nunca mais tentei e acabei até mesmo esquecendo.    

Água para Elefantes, de Sara Gruen 

Logo quando eu descobri meu amor pelos livros, no começo da adolescência, eu queria muito ver o filme desse livro, afinal, o Robert Pattison era o ator principal. Então comprei o livro para ler antes de assistir, mas não sei direito descrever o que aconteceu na leitura (até porque isso tem alguns anos...), mas achei o enredo meio lento no começo, a escrita meio maçante. Eu tentei umas três vezes e não consegui. Deixei o livro na estante muitos anos me enganando achando que em algum momento iria ler até admitir que eu nem me interessava mais pelo filme, nem livro, nem nada da história.



No Skoob, aparece que eu abandonei 17 livros. Mas eu sei que há até mais, porque às vezes eu desisto de uma leitura, mas me engano achando que irei retomar mais para a frente, rs. Você já leu - ou tentou - algum desses livros? E quais foram os livros que você abandonou?