quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Em Águas Sombrias, de Paula Hawkins | Resenha #26

resenha em aguas sombrias
Ao longo dos séculos diversas mulheres morreram no rio que passa por dentro da cidade de Beckford. A maioria dos casos foram levados como suicídios, mas Nel Abott tem certeza que muitas dessas tragédias ocorreram para que os homens se livrassem de mulheres encrenqueiras. É, então, quando ela começa a procurar o segredo dessas mulheres, se envolvendo em histórias conturbadas, pressionando pessoas perigosas e escrevendo um livro. Isso até que Nel aparece morta no rio. 

Jules, sua irmã mais nova que não falava com Nel há décadas, acaba tendo que voltar para a cidade onde cresceu, o lugar que ela mais gostaria de esquecer que existe. A principio ela tem que cuidar de Lena, sua sobrinha, mas conforme as suspeitas de que Nel havia se suicidado naquelas águas vão deixando de fazer sentido, ela é uma peça chave para poder ajudar a polícia a compreender o que aconteceu com Nel. O único problema é que faz anos que Jules faz questão de não ter qualquer contato com a irmã e Lena não está disposta a colaborar nem um pouco.
 Título: Em Águas Sombrias
Autora: Paula Hawkins
Editora: Record
Páginas: 364
Ano: 2017
SKOOB - AMAZON


O começo de Em Águas Sombrias foi muito confuso para mim. A narrativa dos capítulos vão sendo alternado entre os personagens que tem alguma relação com Nel, como Jules, Lena, Erin, a policial enviada de outra cidade para cuidar desse caso, Sean, o policial local... No começo isso foi bem cansativo, porque era dificil lembrar de cada personagem que é apresentado tão rapidamente. E sempre que mudava o narrador eu tinha que fazer um grande esforço para lembrar quem ele era. 

Além disso, o livro começa repleto de segredos. Cada pessoa parece ter uma versão e opinião sobre quem era Nel e, na maioria dos casos, essas opiniões não eram nem um pouco positivas. O único problema - que também foi um ponto positivo para manter ao máximo o mistério da história - é que o leitor acaba sabendo muito pouco do motivo pelo qual as pessoas não gostam de Nel, ou a acham encrenqueira. Ou seja, muitas pessoas parecem suspeitas, mas não sabemos qual delas realmente tem motivo suficiente para acabar matando aquela mulher.
resenha em aguas sombrias




O mistério de Nel acaba se relacionado com o mistério de outras mulheres da cidade, inclusive Katie, a melhor amiga de Lena que havia se suicidado no mesmo rio poucos meses antes da tragédia com Nel. O suicídio de Katie ainda deixava muitas dúvidas nas pessoas: afinal, porque uma menina alegre, inteligente e tão bonita cometeria algo assim?
Conforme a história se desenrola, mais vamos encontrando segredos profundos que ligam Katie, Lena e, consequentemente, Nel. Tais mistérios podem ajudar a solucionar a grande incógnita do que aconteceu com a irmã de Jules, mas quando eles começam a ser revelados, outras histórias acabam ganhando mais força na trama geral do livro. O que aconteceu com Nel acaba tendo um efeito dominó na história, já que muitas outras coisas, mistérios e segredos, desencadeiam a partir da morte dela.

As coisas que quero lembrar, não consigo, e as coisas que faço de tudo para esquecer não param de voltar à minha memória.

Eu gostei bastante da história, a narrativa da Paula Hawkins é muito boa e fluida, o que para mim é um ponto positivo demais. Tenho um certo trauma em ler mistérios porque quase sempre a história é contada de forma lenta, detalhista demais e bem maçante. Não foi o caso aqui! Além disso, ela cria uma ambientação muito realista, então enquanto eu lia eu conseguia imaginar facilmente os lugares e o rosto das pessoas.
Embora o começo do livro tenha sido muito confuso e eu tenha ficado perdida com a história de tantos personagens, achei muito inteligente a forma como a autora fez uma teia de aranha com todas essas histórias, que no começo parece ser um emaranhado aleatório, mas quando vamos nos aprofundando na leitura vamos percebendo que há pontos em comum que ajudam a compor um quadro geral. E, quanto mais eu lia, mais curiosa eu ficava para entender o que aquelas pessoas tinha a ver umas com as outras.

O livro é repleto de relacionamentos problemáticos, seja entre as irmãs, ou entre o passado, ou entre amigas ou amores. Você se apega facilmente com esses relacionamentos e foi dificil saber o que sentir em relação aos personagens, porque não existe alguém totalmente ruim ou totalmente bom. Os personagens foram construídos de uma maneira muito realista, eles podiam ser bons ou ruins, podiam tomar decisões erradas enquanto tentavam acertar... E isso acabou mexendo comigo emocionalmente. O que foi ótimo, me fez sentir a dor dos personagens enquanto eu lia, fez com que eu me sentisse envolvida na história.
É aquela história que te faz ficar atenta para não perder algum detalhe importante e, quanto mais as coisas pioravam, mais curiosa eu ficava para conseguir entender toda aquela confusão, entender qual era a relação entre aquelas pessoas e o que havia acontecido com cada uma dessas mulheres. E acho que esse é um ponto forte do livro: as mulheres protagonizam grande parte da história. Na verdade, são elas que movimentam tudo que acontece ali. 

Mostrar para alguém que a gente está magoada é a pior coisa que se pode fazer, não é?

A minha crítica maior, além de ter sido muito confuso e cansativo toda aquela troca de personagens no começo, é pela questão de que durante boa parte do livro a autora focou em um mistério que não ajudava em nada, no fim das contas. Entendo que o sentido foi de despistar o leitor do que realmente importava, para então fazer uma grande surpresa, mas com isso eu fiquei mais perdida em tentar entender o  sentido daquilo do que realmente satisfeita com o desfecho que se seguiu, acabei me sentindo bem trouxa por achar que aquilo traria as respostas, quando na verdade foi só uma distração.

Mas, fora isso, a história foi muito boa. Mesmo sendo confusa no começo, eu consegui me envolver muito, como a narrativa muda e cada personagem tem sua voz, é fácil você se apegar a alguns e começar a odiar fortemente outros. E, sem dúvidas, isso foi excelente para deixar a leitura mais interessante. Eu confesso que esperava um pouco mais do final e sinceramente ainda não sei o que sentir e pensar em relação a revelação da última página do livro, mas sem dúvidas foi excelente a autora ter deixado para colocar uma bomba nas últimas palavras da história, por conta disso o livro ficou na minha cabeça por dias seguidos.

Nota: 4/5 

Entenda as notas: 1 - Ruim, péssimo;  2 - Médio, regular; 3 - Bom, legal;  4 - Muito bom;  5 - Ótimo, incrível; ♥ - É um dos meus preferidos

Você já leu Em Águas Sombrias? Me conta o que achou! Ah, se tiver mais dicas de livros desse gênero, agradeço!

11 comentários:

  1. Oi, Aléxia
    Eu fico muito curiosa para descobrir os mistérios por detrás desses suspenses, mas sabe aquele gênero que simplesmente não rola? Eu não sinto a menor vontade de ler, tipo, não sinto nada só curiosidade pra saber o final mesmo, e quando invento de tentar eu não avanço na narrativa. É triste!
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Alexia, tudo bem? Eu ainda não li nada da autora, mas apesar das ressalvas é uma premissa interessante. Gosto de tramas com personagens complexos e bem construídos e espero curtir a leitura!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lex! Tudo bom?
    Esse livro foi uma grata surpresa pra mim. O começo é realmente bem confuso, mas acho que faz parte da imersão nos mistérios e na tensão que a autora queria construir - e como construiu! Eu roí as unhas de tanto nervoso querendo entender o que estava acontecendo.
    E A CENA FINAL COMO EU FIQUEI NO CHÃÃÃO. Deu até saudade do livro <3

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Aléxia,
    Da autora só li mesmo A Garota no Trem e gostei bastante da maneira que ela aborda as personagens femininas. Lá ela também dividiu os capítulos assim, o que me deixava mais curiosa HAHAHA
    Espero ler esse também, fiquei super encucada aqui com os assassinatos no rio.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Aléxia

    Fiquei bem contente de ver que você gostou, pois o livro só recebe hate! Hahaha
    Eu gostei bastante e ao contrário de você a leitura foi bem tranquila do início ao fim, não fiquei confusa em nenhum momento.
    Estou torcendo para que ela publique um novo livro o quanto antes!!

    Oi, Denise

    Eu não tenho interesse pela série, fico até boiando quando falam que é um clássico, pois nunca sequer ouvi falar na autora antes do lançamento da série.
    O que mais me chama a atenção é essa abordagem científica e religiosa que o livro possui. O fato delas se cruzarem e vem interessante, já que realmente elas não andam juntas.
    Espero que você aprecie os demais.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Amei sua resenha, a capa desse livro é incrível, parece que escolheram todos os detalhes a dedo. Uma pena a história ser confusa no início, mas que bom que depois ela é bem desenvolvida!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  7. Oiii Alexia

    Que legal saber que a narratyiva aqui foi ágil e fluída, geralmente thrillers são bem cheios de detalhes mesmo. Já ouvi falar que o inicio é confuso por causa da quantidade de personagens inseridos d euma vez na trama, mas menos mal que aos pouos o leitor vai se habituando. Eu quero ler esse livro qualquer dia.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Olá
    adorei sua resenha sincera e sua opinião franca sobre o livro.
    Adoro personagens problemáticos, pois eu amo analisá-los.
    Nós nos envolvemos mesmo com os personagens e não queremos largá-los de jeito nenhum.
    bjo

    Karina Pinheiro

    ResponderExcluir
  9. Olá, Aléxia.
    Eu li esse livro porque gostei bastante de A Garota No Trem. Mas desse eu acabei não gostando muito, tanto que nem me lembro da história mais. E se esqueci é porque não gostei hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lex!
    Nossa, eu não consigo olhar para essa capa sem me sentir mal.. sei lá, não gosto dela.
    Acho que esse começo confuso iria me desestimular um pouco junto com essa troca de narrção.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  11. Oi Alexia! Eu li outro livro da autora e gostei bastante, mas este aqui parece ser bem diferente e sempre vejo comentários que é confuso. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir

BlogsBrasil