quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Entrevista: Naiara Aimee, autora nacional de romances de época


Tem escritores que tem a capacidade de trazer um conjunto mágico de simplicidade e encanto nos dedos. Eles conseguem escrever coisas simples de forma que aquecem o coração. Suas palavras nos trazem aquele conforto, sorriso e emoções que são simples, mas tocantes. E assim é Naiara Aimee.

Desde a primeira vez que li um livro seu, Assim como és, eu sabia que tinha algo diferente em sua escrita. Quando li um segundo livro, Como Nunca Imaginei, tive a certeza. Ela consegue misturar diversas coisas e nos trazer diferentes sensações ao longo da leitura. 

Seus personagens parecem ser reais ou ao menos desejamos que eles sejam. Enquanto lia, me imaginava nas cenas e conseguia facilmente imaginar o que era descrito com tanta naturalidade. As histórias de Naiara não contém apenas acontecimentos, mas lições valiosas sobre amor - não apenas o romântico -, fé, esperança e força. É aquele livro que você termina com a sensação de que aprendeu coisas novas ou que foi fortalecido no que já sabia, mas havia se esquecido temporariamente.

Quando li seus livros tive certeza que precisava trazer ela aqui no blog em uma entrevista. E constatei que, além de tão talentosa, Naiara é muito simpática. Vocês verão a seguir:


Para começarmos... Conte um pouco sobre você. Quem é Naiara?

Sou uma pessoa tímida, desajeitada, um pouco (eufemismo) desorganizada e é por aí hahaha!

Quando criança, o que você dizia que queria ser? Com quantos anos e como você começou a escrever?

Quando eu era criança dizia que seria dona de restaurante. Eu amo comer, então sonhava que um dia saberia cozinhar coisas muito gostosas para outros e para mim. Mas eu sou um desastre na cozinha, então não rolou hahaha!

Eu sempre gostei de escrever. Aos onze anos, escrevi um romance de aventura. Eu não escrevia regularmente, mas vira e mexe alguma coisa saia: um conto, um poema etc. Até que escrevi meu primeiro romance de época que hoje a maioria conhece por Tudo o Que Mais Importa. A partir daí a escrita se tornou mais ativa.

Você já tem uma boa quantidade de livros publicados (fisicamente, na Amazon e no Wattpad), qual dessas histórias foi a que mais demorou para escrever e qual a que você escreveu mais rápido?

A mais demorada foi sem dúvida Tudo o Que Mais Importa. Escrevi a primeira versão em quatro meses, mas houve muitas mudanças na revisão e, depois de publicado como As Flores da Primavera, eu tornei a reescrevê-la de modo que levou uns bons três anos até que essa história ficasse como eu queria e, ainda assim, não posso dizer que esteja totalmente satisfeita com ela.

A história que escrevi mais rápido no quesito romance longo foi Sem Canção, que, por enquanto, está disponível apenas no wattpad. Tenho Assim Como És, que escrevi em um mês, mas como é uma “novela” não sei se é justo compará-la com as outras.



Ainda falando sobre todas suas historias, você conseguiria escolher uma delas como a sua preferida?

Essa pergunta é difícil. Eu amo muito Assim Como És, porque representa uma nova fase na minha escrita e carreira, mas minha história favorita é Sem Canção. Acredito que por ser algo fora da minha zona de conforto e também porque sou apaixonada pelos personagens.

Qual dos seus personagens você mais se identifica e com qual menos se identifica?

Eu me identifico muito com a Erin, de Sem Canção. Ela erra muito tentando acertar e se dá de coração para suas relações. Agora, acho que a personagem mais distante de mim seria a Jane, de Tudo o Que Mais Importa. Ela tem resposta pra todas as situações e ótimas tiradas, eu só tenho ótimas tiradas na cabeça, na hora de falar não sai nada!

Naiara tem quatro romances publicados: Assim como és, pelo selo Reino da Portal Editora; Como Nunca Imaginei, na Amazon; Tudo o que mais importa, pela editora UpBooks; e Sem Canção, no Wattpad. Além disso, tem um conto, Estela e a Fera, na Amazon. 

Como Nunca Imaginei, romance da Naiara publicado esse ano na Amazon, traz importantes mensagens sobre fé e a força do verdadeiro amor, que é capaz de vencer qualquer barreira.

Recentemente eu li ‘Assim como és’ e ‘Como Nunca Imaginei’ e eu amei ambas as histórias. Como você estuda para poder escrever romances de época? Como funciona o seu processo para o preparo de uma história que se passa em outro século?

Eu anoto tudo de diferente que vejo nos romances de época, clássicos e matérias em blogs especializados. Quando preciso de um fato histórico específico, eu acesso o Google Livros e jogo a palavra chave, aparecem vários livros e alguns disponibilizam páginas sobre o assunto.

Como funciona o seu processo criativo? Você tem uma rotina de escrita rígida ou escreve somente quando tem inspiração?

Eu simplesmente me sento e começo a escrever (ou pelo menos tento). E ultimamente tenho escrito apenas quando estou realmente com vontade, mas sei que é importante manter uma rotina. Sophie Kinsella, em uma entrevista, disse que é bom escrever constantemente nem que seja mil palavras. Eu digo que se você conseguir escrever umas 500 já é um ótimo caminho hahaha!



Como você constrói seus personagens? Se baseia em pessoas que você conhece?

Meus personagens são muito aleatórios, simplesmente surgem na minha mente e raramente eu me inspiro em alguém que conheça.

Quais são as suas principais influências como escritora? E os seus livros preferidos?

São muitas. Atualmente estou escrevendo um Chick lit e posso dizer que Sophie Kinsella e Carol Sabar têm me ajudado muito. Meus livros favoritos são: Jane Eyre, Lembra de Mim? (Sophie Kinsella), Tarde Demais (Colleen Hoover) e A Distância Que Nos Separa (Kasie West).

Quais autoras nacionais contemporâneas você mais gosta e acha que deveria ter mais reconhecimento?

São tantos! A Débora S. Silva têm contos muito fofos. A Karol Blatt é incrível, ela já é bem conhecida, na verdade, mas gostaria de ver uma editora como a Record ou a Globoalt publicando seus livros incríveis.

Na sua opinião, qual é a maior dificuldade para autoras nacionais hoje no mercado editorial?

Todas? Brincadeiras à parte é muito difícil conseguir publicar se você não tiver um agente literário (dos bons!) e muita fama, então a dificuldade já começa por aí. É preciso se esforçar muito para ser reconhecido primeiro pelos leitores e aí vem as editoras.


"De um interesse egoísta surge o mais sincero sentimento de amor". Logo após a morte da mãe, Edward Radford é levado, pelas circunstâncias impostas, a acolher em sua propriedade as pobres e órfãs irmãs McCarthy. A contragosto ele acaba cedendo, mas não se mostra nem um pouco à vontade com isso. Ao perceber que as irmãs são um incomodo para ele, Jane McCarthy, a mais velha, decide levá-las de volta a Chesterfield. Com essa ameaça iminente e a chance de perder parte de sua herança, Edward é obrigado a traçar novos planos e percebe que para ter as irmãs consigo será necessário conquistar a confiança de Jane, o que irá se mostrar uma tarefa bastante árdua, dado as fortes convicções dela, sua crença inabalável e seu gênio forte. Esse é um romance de época que envolve não só uma linda história de amor, mas também traz o relato das dificuldades enfrentadas pelas mulheres sem proteção, da pobreza, e da praga que infectou as plantações de batatas no período de 1845 a 1849, deixando um rastro de dor e miséria. COMPRE O LIVRO FÍSICO: UPBOOKS

Você já quis desistir da carreira de escritora? Se sim, o que você faz quando esses momentos de desânimo surgem?

Sim! Hahaha! Às vezes eu ainda penso nisso, mas confesso que hoje com menos (muito menos) frequência do que antigamente. Sempre me permiti ficar chateada nesses momentos, porque acho humano nos deixamos ficar tristes ou frustrados de vez em quando. O importante é não permitir que esse sentimento se prolongue e tome conta da gente.
 

Em quais projetos você está trabalhando no momento? Pode nos contar alguma novidade inédita? Hehehe.

Estou escrevendo uma continuação para Sem Canção, chamado Sem Chances e um conto chick lit inspirado num romance famosinho, mas vou deixar no ar para não estragar a surpresa hahaha!


Qual a dica você dá para uma pessoa que está pensando em escrever a primeira história?

Escreva o que você gostaria de ler independente do que as pessoas possam dizer e não desista mesmo que as coisas pareçam distantes. Quando você já tiver terminado sua primeira história, procure não reclamar que você não tem sorte, que nenhuma editora grande te nota, e escreva porque você quer passar uma mensagem ao mundo. Foque suas forças em correr atrás de fazer acontecer e em algum momento sua estrela irá brilhar.


Naiara, muito obrigada pela entrevista! Amei conhecer um pouco mais de você e acredito que os leitores do blog também. Te desejo muito sucesso e saiba que estarei sempre acompanhando e torcendo muito por você e pela sua carreira.

Vocês podem comprar alguns dos livros da Naiara pela Amazon:

21 comentários:

  1. Que entrevista mais gostosa, não conhecia o trabalho dela, nem ela. Mas, depois da sua entrevista fiquei bem entusiasmada para acompanhá-la!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou da entrevista ♥ Fico muito feliz! ☺ E espero que você tenha a oportunidade de ler se apaixone tanto quanto eu!

      Excluir
  2. Oi, Aléxia!
    Muito bacana esse negócio das entrevistas, eu sempre conheço gente que nunca vi. Vi sua resenha sobre os livros da autora mas nunca parei para pensar mais sobre as obras dela e já quero ler. Amo/sou romances de época, imagino que iria adorar suas histórias.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro conhecer autores por entrevistas ☺ Acredito que você possa curtir bastante as obras dela, dá uma chance! ☺♥ Beijos!

      Excluir
  3. Foi uma honra ser entevistada por você! Obrigada pela oportunidade!

    PS: morta de amores com a introdução <3

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lex!
    Eu não conhecia a autora e adorei a entrevista dela. Amei saber que ela queria ser dona de restaurante quando era pequena hahaha Foi uma mudança e tanto nos planos, né? Vou procurar mais sobre as obras dela!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  5. Oie,

    Não conhecia a autora, mas adorei conhecer um pouquinho mais dela e de seus livros.
    Adoro romances de época, então com certeza vou querer ler.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  6. não conhecia a autora, bem bacana a entrevista!
    bj www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, Aléxia.
    Eu li as suas resenhas dos livros da autora, me interessei por eles, principalmente por Assim Como És, mas ainda não tive a oportunidade de ler nada dela. Gostei da entrevista e achei ela bem simpática também.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Meu lado viciada em romances de época vibrou de emoção aqui. Alguns vão já entrar pra lista e partiu Amazon...

    www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lex!
    Não conhecia a autora, mas achei ela super simpática e amorzinho. E me identifico muito com o "pouco" desorganizada.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lex!

    Adoreei a entrevista! Ainda não conhecia a autora, mas sou doida por romance de época, então já vou atrás de seus livros. Ri muito com a resposta dela quanto a querer ser dona de restaurante porque gostava de comer. Aí é que não ia dar certo mesmo haahah desejo muito sucesso pra autora que só pela entrevista já deu pra ver que é muito simpática e querida!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Que bacana essa entrevista adorei conhece-la.
    Beijos
    www.janamakesesmaltesecia.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Que ótima entrevista. Eu acho que tenho um livro dela no Kindle, depois vou caçar. Adoro ler entrevistas de autores, pra acompanhar como é o processo e as dicas. E adorei que ela disse que pelos menos 500 palavras está ótimo. Tem dia que não rola nada haha.

    Desejo muito sucesso.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  13. Oi Aléxia, tudo bem?
    Não conhecia a autora, mas adorei mais saber sobre ela e suas obras!
    Pelas respostas, ela parece uma fofa. <3 As fotos escolhidas no post também estão ótimas, parabéns!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  14. Não a conhecia, mas gostei de conhecê-la um pouco mais! ^^
    Os livros dela parecem bem bacanas!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  15. Olá, Alexia

    Que entrevista bacana, adorei! Não conhecia a autora, mas eu amo o gênero que ela escreve, sendo assim, claro que leria!
    Adorei as capas de Como Nunca Imaginei e de Tudo o Que Mais Importa, leria os livros só por elas.
    E sobre o que ela falou da gente escrever o que gostaríamos de ler: maior verdade! Tem gente que só começa a escrever porque determinado tema está na moda... vide os vampiros na época de Crepúsculo! Resultado? Uma enxurrada de histórias ruins e oportunistas...


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  16. Ola Alexia! Tudo bem?
    Adorei e já quero muito ler algum livro dela, não a conhecia antes.. mas gostei muito da sua introdução contando um pouco do que acha. E adorei a entrevista, já gostei dela!
    Beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. gostei mt de conhecer a autora e mais das suas obras, eu gosto bastante de romances de época, inclusive estou lendo um dos classicos, jane eyre

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  18. Oi
    não conhecia a autora por nome, mas ao ver a capa de como nunca imaginei, lembrei que tenho o e-book no app do kindle, foi bom conhecer a autora por aqui, só fiquei mais curiosa para ler o e-book que tenho.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia o trabalho dela. Amei a entrevista! Irei buscar e ver os trabalhos!
    Beijinhoooos. ❤
    https://lewestinblog.blogspot.com

    ResponderExcluir

BlogsBrasil