segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Review | Série: Atypical - Vale a pena assistir?


Atypical é uma série original da Netflix que traz a história de Sam, um garoto de 18 anos que tem autismo. Desde que Sam tem quatro anos, quando foi diagnosticado, a dinâmica familiar sempre gira em torno dele. Com uma mãe superprotetora, uma irmã que o ama muito e um pai que não sabe como se conectar, a série vai acompanhar os dramas e mudanças de Sam com a chegada da vida adulta - e como sua família lida com tudo isso.

Quando eu comecei a ver a primeira temporada de Atypical, no ano passado, duvidei que fosse gostar muito da série. Mas foi só ver o primeiro episódio que eu já estava viciada. Terminei de uma vez só a primeira temporada, de 8 episódios, com 30 minutos cada. E esperei ansiosa pela segunda temporada, que saiu dia 7 de setembro.



A série começa, na primeira temporada, com Sam buscando uma namorada. O desejo foi incentivado por sua psicóloga, que achava que o rapaz já estava preparado para esse grande passo. Sam é um aluno inteligente, com excelente notas e um emprego estável - algo muito impressionante para uma pessoa diagnosticada dentro do espectro do autismo. Além disso, ele mantém uma amizade com Zahid, um rapaz do trabalho, que lhe dá conselhos amorosos um tanto duvidosos.

Esse desejo de Sam por ter um relacionamento amoroso acaba mudando muito a sua vida e ele começa a se envolver em algumas pequenas confusões, o que preocupa a sua mãe e começa a mudar um pouco da rotina da família.

Elsa é uma mãe preocupada e muito protetora e desde sempre levou toda a sua família nos ombros, tentando dar a atenção necessária a Sam, sem esquecer de sua filha mais nova de 15 anos, Casey. Enquanto isso ela tenta conectar toda a família e deixa-la unida, mesmo com todas as dificuldades que isso envolve.

Já Doug nunca conseguiu se conectar muito com Sam e nem consegue entender porque ele é do jeito que é. Embora ele tenha essa barreira, o amor de pai de Doug é muito forte, mas vemos isso mais com a relação dele com Casey.




A série é bastante emotiva e você consegue captar e entender os personagens com facilidade, mesmo eles sendo tão diferentes e suas motivações sendo, muitas vezes, confusas. O que os faz, na verdade, personagens reais. Embora o enredo gire em torno de Sam e do autismo, a série abre espaço para outros dramas: como Casey e o primeiro amor, os conflitos do casamento de Elsa e e Doug. E isso é algo muito interessante.

Mas o ponto principal da série mesmo está em poder compreender melhor como é uma pessoa autista e como é a dificuldade em lidar com algumas coisas, especialmente dentro da relação familiar. Eu nunca conheci alguém que é autista e nunca estudei sobre isso. Também nunca li nenhum livro e não lembro de ter visto um filme ou série sobre até então. Ou seja, Aypical foi meu primeiro contato com o tema. E foi muito bom!

É aquela série que nos desperta a empatia e nos faz ver o diferente com outros olhos. Por isso eu recomendo muito a série. A primeira temporada foi incrível e eu amei muito a segunda também, embora tenha demorado alguns episódios para conseguir me envolver mais. É uma série muito informativa, mas não é chata de forma nenhuma! Vale a pena assistir Atypical, sim!

5 comentários:

  1. Oi! Eu gostei bastante da primeira temporada, ma a segunda não me empolgou tanto assim. Tomara que em uma terceira temporada recupere o clima que tanto me agradou na primeira. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lex!
    Eu gosto muito de Atypical, também. Engoli as duas temporadas na semana em que saíram, em um dia. Só não curti muito os rumos da Casey no fim da s2 porque não gosto desse lance de "descobrir sua sexualidade traindo", mas espero que consigam reverter essa ideia e fazerem algo mais digno da história dela e do Sam.


    bjs
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir
  3. Parece ser interessante! Estamos tão acostumados com séries de coisas surreais que acabamos esquecendo daquilo que existe e está próximo do nosso cotidiano.

    naoseavexe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, ALéxia! Eu já ouvi falar muito dessa série e é legal por quebrar estereótipos sobre o autismo, mas eu não sou fã do entretenimento, provavelmente não assistiria.

    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiee!

    Eu quero muito assistir a série, especialmente por abordar o tema autismo. Eu sou formada em psicologia, e a gente estudou um pouco sobre, porém seria legal assistir uma série que mostra o dia a dia, as dificuldades e o comportamento de uma pessoa com esse transtorno.

    Bjão
    Início de Conversa

    ResponderExcluir

BlogsBrasil