sábado, 25 de agosto de 2018

Sonhos Partidos, de M. O. Walsh | Resenha #23


 Sonhos Partidos conta sobre o verão de 1989, em Baton Rouge, Lindy Simpson é estuprada perto de casa. A garota que era admirada por todos e um estrela das pistas de corrida acaba de ter seu futuro inteiro mudado. Obviamente, ninguém esperava que um ato de tanta crueldade assim fosse acontecer em um bairro familiar, onde todos se conheciam e se reuniam em churrascos aos fins de semana. 

Logo muitos vizinhos são apontados como suspeitos, como o Sr. Landry, um psiquiatra que já teve problemas antes, seu filho Jason, um jovem problemático, e até mesmo o garoto que narra a história, um adolescente que sempre nutriu uma paixão platônica avassaladora pela Lindy (e só quando terminei de ler me dei conta que o narrador não tem nome!). A partir disso vemos o desenrolar dessa paixão, os problemas sofridos por Lindy e a busca para descobrir quem cometeu esse crime e ainda está solto por aí. 

Título: Sonhos Partidos
Autora: M. O. Walsh
Editora: Intrínseca   
Páginas:
256 
Ano:
2015
SKOOB - AMAZON




A história é contada como um livro de memórias e o próprio narrador fala que a vida dele foi divida em duas: antes e depois do estupro de Lindy. Isso significa que a história não é contada linearmente com ordem cronológica, mas sim através do que ele vai lembrando e relatando. O fato de ser através das memórias do rapaz (que quando nos conta a história já é um homem adulto) que fora completamente obcecado pela Lindy também acaba tornando o relato tendencioso.

Foi impossível me apegar ao narrador. Tudo que ele fala é sobre como ele sempre foi apaixonado pela Lindy e como ele se tornou um dos suspeitos do crime. Mas tudo que eu consegui enxergar quando li foi uma obsessão maluca e assustadora. Nós pouco somos apresentados aos sentimentos da Lindy e seus problemas, até porque eles nem eram mais amigos realmente quando ela foi violentada. 



Então, o que sabemos quando lemos é a história de um rapaz que é apaixonado por sua vizinha que não dá a menor bola para ele e tudo que ele quer é que ela se apaixone por ele. E ele parece não enxergar mais nada em sua volta. Nem o fato de que ela pode estar sofrendo muito, estar com traumas e medos, ou constrangimento por esse ser o assunto do bairro e da escola todo o tempo. 

Lindy acaba mudando muito depois do estupro e sua personalidade de menina doce acaba sendo modificada até ela começar a frequentar lugares perigosos, se vestir como punk, namorar caras estranhos... E o que o narrador faz? Muda a ele mesmo. Muda seu jeito de se vestir, as músicas que ouve, tudo. Ele quer constantemente chamar a atenção de Lindy.  

"Cada pessoa adulta que você encontra na vida está arrastando atrás dela uma fileira invisível de muitos fantasmas, dos quais, quando se é criança, você é generosamente poupado de conhecer." (Sonhos Partidos, página 141)

Em alguns momentos somos apresentados a alguma críticas lúcidas. Como o problema da sexualização da Lindy, que era uma criança quase adolescente quando o crime aconteceu. Todos os garotos mais velhos (e alguns homens...) já tinham interesse nela e flertavam descaradamente. Há outras críticas também, como o fato de nunca sabermos o que se passa na casa ao lado, quem são mesmo aquelas pessoas, porque elas são tão estranhas... E de que há a passividade em ninguém nunca questionar nada disso e apenas fingir que não é problema seu!

E acho que isso foi o que mais me incomodou no livro. Todo mundo é muito passivo e egoísta. O nosso protagonista é o pior de todos. Como o livro é sobre o que ele lembra, tudo que ele lembra são coisas egoístas: o fato de Lindy não querer mais falar com ele depois que ele espalhou na escola que ela foi estuprada, o fato de que ele ama a Lindy e sofre por ela não dar atenção, o fato de que ele queria estar com Lindy... Tudo se resume a isso. Ele esquece dos problemas de sua família, esquece das suas amizades, de que até mesmo Lindy não tem obrigação em corresponder seu amor ou muito menos falar com ele. 

- Isso é amor, querido. É complicado.
- Isso é idiota - retruquei.
- É - concordou ela. (Sonhos Partidos, página 141)

A narrativa é muito lenta e ele está sempre dando muitas voltas na história, o que me deixou levemente perdida. Ele sempre lembra de algo no meio da história e diz "mas depois falarei sobre isso" e acaba não falando ou quando fala eu já não lembrava mais. Isso tudo piorou um pouco a leitura para mim e a tornou bem arrastada. 

Sonhos Partidos só não foi de todo ruim porque eu acabei tendo alguma surpresas e teve alguns pontos altos na história que acabou movimentando mais. Porém, eu tinha altas expectativas. Eu esperava que fosse tratar o tema com mais empatia, como ele precisa ser tratado. E não como um relato de um garoto egoísta e com sérios problemas que não se importa com mais nada a não ser ele e sua paixão (nem mesmo com a pessoa por quem ele é apaixonado ele se importa...). Foi uma leitura dificil, embora tenha dado algumas reflexões e críticas.

Nota: 2/5 

Notas: 1 - Ruim, péssimo;  2 - Médio, regular; 3 - Bom, legal;  4 - Muito bom;  5 - Ótimo, incrível; ♥ - É um dos meus preferidos
 Quer acompanhar minhas leituras? Me adiciona/segue no skoob!



18 comentários:

  1. Ainda nao conhecia esse livro, mas a grande verdade é que realmente a história não me interessou. Acho q assuntos importantes como violência sexual não deveria ser abordado desse forma leviana, ainda colocando um personagem babaca pra contar a história. Gostei mt da sua resenha, está muito bem escrita e sua opinião está bem embasa. Parabens!

    ResponderExcluir
  2. Aléxia
    Nada pior do que ir com várias expectativas em relação a um livro e quebrar a cara. Eu amei demais a capa, mas acho que a autora tentou trazer uma empatia por parte do narrador que não rolou. Soa forçado, já que a gente não vê ele como um bobo apaixonado que não é correspondido, e sim como um maníaco do parque que quer chamar a atenção da paixão platônica. Provavelmente não leria.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lex!
    Nossa, eu acho que só ia passar raiva nesse livro e meu coração já bateu a cota dese mês hahahahaha
    Esse lance da passividade pode muito ser colocado na atualidade. Quantas vezes as pessoas veem algo mas não fazem nada?
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lex!
    Menina, eu já tinha visto essa capa em alguns lugares, mas nunca tinha procurado para saber mais sobre ele. Por isso, nunca imaginei que tratava desse assunto tão pesado, achei que encontraria um romance levinho hahaha Acho que pelos seus comentários, não seria uma leitura que eu ia gostar, mas quem sabe, né?
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos
    Sorteio de aniversário - Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Odeio criar expectativas e não me surpreender com a história. Isso aconteceu ontem, mas com um filme. O assisti por duas horas e ele não teve um começo, piorou no meio e o pior é que ele não teve fim. Sério! Que horror. Uma pena o autor não ter aproveitado a história, porque seria uma historia e tanto!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Alexia, tudo bem?
    Ainda não conhecia, achei bem bacana a dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  7. não conhecia o livro, não é o meu gênero de leitura. Mas, parece bacana!
    bj www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  8. Eu me conso muito quando a narrativa é lenta de mais, não funciona comigo..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, floooor...
    Já tinha visto esse livro por aí, mas nem sabia do que se tratava, amei a proposta!
    Uma pena não ter funcionado taaaaaaanto pra você rs
    E sua nota me deixou com um pé atrás rs

    Adorei seu blog, primeira vez aqui <3
    Mil beijos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  10. Eu acho que talvez... mas só talvez, a crítica maior desse livro seja justamente o que te incomodou, a falta de ajuda e empatia da comunidade em vista de um estupro.
    Mas é claro que também, um enredo que dá voltas não ajuda na leitura, possivelmente essa história poderia ser melhor trabalhada né não? Ou quem sabe o autor crie um segundo livro com o ponto de vista da Lindy, isso poderia se encaixar com a obsessão demonstrada nesse, que seria o primeiro livro.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lex!

    Poxa, que pena a história ser decepcionante, e pelo visto tudo por conta do protagonista. O narrador sem dúvidas é o ponto chave para gostarmos ou não de uma obra, e imagino que se tivesse sido narrado pela própria Lindy, teria sido muito melhor.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi Alexia! Eu comecei lendo a resenha achando bem interessante a trama e os personagens, mas é difícil se apegar quando não tem ninguém que se salve muito rs Uma pena, parecia bem promissor!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  13. Oi, Aléxia!
    Achei que começou promissor, mas aí a sua opinião sobre o livro me deixou desanimada.
    Não é uma história que eu procuraria ler, mas se caísse na minha mão eu leria.
    Ainda assim, fiquei com preguiça de todo esse egoísmo e passividade e o fato de pouco se importarem mesmo com Lindy.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  14. Aiii my Jesus!!!! Que delicinha de leitura

    http://dosedeestrela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Aléxia, tudo bem?
    Adorei a sinceridade na resenha.
    Achei interessante a problematização da sexualização da garota ainda muito jovem, mas é uma pena que o livro não soube trabalhar esse tema de modo convincente. Acho pesado quando a trama envolve estupro, tem que ser muito bem desenvolvida.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  16. Amei a resenha, bem sincera. Não é o tipo de livro que gosto de ler, já havia lido outras resenhas sobre e várias foram negativas. Adorei o post!
    Bjooos. ❤
    https://lewestinblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Caramba, apenas dois. Eu gosto muito de livro com a temática séria e esperei que o livro falasse com mais respeito, mas pela forma que você contou sua experiência, eu não me interessei nem um pouco por ele.

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir
  18. Oi, Lex! Tudo bem?

    Eu sinceramente li a sua resenha assim: "nossa, que protagonista idiota". De verdade, mesmo que eu ainda não tenha lido, pelo que você falou, odiei a forma como a história segue, principalmente por ser protagonizado por um protagonista tão egoísta quando a história roda em torno de uma personagem que tem um trauma tão grande.
    Eu não conhecia o livro, mas não me interessei de forma alguma por ele.
    Adorei a sinceridade, de verdade.

    Beijos,
    Magia é Sonhar
    Conheça o nosso Canal

    ResponderExcluir

BlogsBrasil