Edenbrooke, de Julianne Donaldson | Resenha #37

Edenbrooke, de Julianne Donaldson

Quando surge o convite para passar uma temporada em Edenbrooke, Marianne encontra e chance de livrar-se do tédio que tem sido viver com sua avó em Barth e finalmente conseguir se afastar das investidas amorosas de um pretendente repugnante, além de conseguir reencontrar com sua irmã. O que Marianne não imaginava era que essa visita fosse oferecer aventuras que ela jamais sonhou que protagonizaria em sua própria vida, tais como enfrentar um salteador até descobrir o amor... 

Edenbrooke, de Julianne Donaldson
Título: Edenbrooke
Autor: Julianne Donaldson
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 304
Ano: 2017
Nota: 5/5
SKOOB | AMAZON
(Disponível no Kindle Unlimited!)



Marianne está vivendo com sua avó desde que sua mãe morreu, sua irmã gêmea foi para Londres e seu pai se mudou para longe. Desde então tudo que ela tem experimentado é tristeza e tédio. Quando recebe o convite para Edenbrooke, porém, sua vida inteira começa a mudar. Sua a avó a comunica de que ela poderá herdar uma generosa fortuna se aprender a se comportar como uma moça, o que significa parar de rodopiar pelos campos e conter sua língua afiada.

Mas um encontro misterioso com um cavalheiro arrogante em uma estalagem em que se hospeda após ter sido abordada por um salteador em meio à estrada quando estava em direção ao seu destino, se transforma em uma deliciosa amizade quando ela chega em Edenbrooke.

Edenbrooke, de Julianne Donaldson

Eu esperava um romance de época doce, sutil e sem grandes emoções. Uma leitura leve, sabe? E realmente encontrei quase tudo isso em Edenbrooke, exceto pela parte da falta de emoções. Desde os primeiros capítulos o livro já me roubou o fôlego com a cena do assalto. Mas isso foi só o começo! Quando o romance começa a se desenvolver, encontramos um casal de protagonistas com a língua afiada que adora brincar de cão e gato, muito embora fique óbvio para o leitor que, enquanto farpas estão sendo trocadas, há um afeto que cresce a cada dialogo.

O romance se desenvolve sutilmente, mas vai roubando o coração de quem lê a cada novo capítulo e foi isso o que me fez ler tão rapidamente a história - e lamentar a cada página virada, sabendo que logo mais o fim chegaria e eu não dividiria mais o meu tempo com personagens tão divertidos e cativantes.

Queria a sensação de pertencimento, de fazer algo útil e bom com meu tempo. Mas acima de tudo, queria ser amada por quem eu era.

Além do romance, a história dá um pequeno espaço para que conheçamos outros aspectos da Marianne, a protagonista. A dor em perder sua mãe, a sensação de incômodo que persiste aonde vá por sempre acreditar que é indesejada desde que seu pai a abandonara e o conflito que existe entre ela e sua irmã gêmea, que possui uma beleza estonteante e sempre consegue o quer. 

Esses aspectos, no entanto, não roubam a história para si, mas compõe a forma com que o romance se apresenta ao longo da história. É de encher o coração dos leitores de agonia, a forma sutil com que os afetos são trocados entre os protagonistas, a resistência de Marianne em acreditar que alguém com tantas posses e título pudesse se apaixonar por ela, mas não é enrolado ao pontos de irritar.

O livro me lembra bastante a forma com que se desenvolve os romances de Jane Austen, pois a sutileza é muito valorizada, com todas as trocas de olhares, diálogos significativos e contato físico tão escasso. Porém, pude perceber algumas falhas de narrativa, como em momentos quando a autora corre demais com uma cena quando precisaria de mais detalhes, ou então ao se prolongar em cenas que eu gostaria que fossem mais curtas. No entanto, nada disso me tirou o encanto da leitura.

Eu fiquei absurdamente apaixonada pelo livro, que despertou em mim todos os sentimentos que eu sempre anseio para um bom romance desperte: coração palpitando, sorrisos incontroláveis e milhares de expectativas - que foram sendo supridas. É uma leitura leve e deliciosa. 



Ficou com vontade de ler? Compre Edenbrooke ou leia pelo Kindle Unlimited:

You Might Also Like

16 comentários

  1. Olá, Aléxia.
    Eu acho que já tinha ouvido o título desse livro antes. Mas nunca tinha lido nenhuma resenha dele. E já adicionei no meu KU. Assim que der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Confesso que a capa não me atraiu muito, mas pelo que você disse, vale muito a pena conhecer esse livro! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não conhecia este livro, mas achei bem interessante viu?
    Gostei da sugestão.

    Beijos,

    www.nossoglamour.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. parece ser um ótimo livro! adorei a sugestão! não conhecia!

    xoxo
    Guria do Século Passado

    ResponderExcluir
  5. Oiie, sério que lembra a escrita da Jane? Que legal mulher!! Eu sou fã de Romance de época embora não tenha lido muito nesse último ano. A resenha ficou muito boa, e o livro parece ser muito bom <3
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lex!
    Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessada. Essa capa é linda demais!!! Como boa fã de romance de época, fiquei bem tentada
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. ainda nao conhecia esse livro, adoro romances históricos e se lembra a escrita da Jane com certeza eu já me interessei!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  8. Oi
    que bom que gostou da leitura e que se viu completamente envolvida com a história, não conhecia, mas como gosto de livros do gênero quem sabe eu poderia dar uma chance.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi Alexia,
    Acredita que esse livro estava 10,00 na Black Friday e eu NÃO comprei?
    Já é a segunda vez hoje que vejo que perdi uma grande oporunidade... Mas está na lista, da próxima não passa!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Aléxia, tudo bem?
    Não conhecia esse livro, mas adorei a dica.
    Essa sutileza não acontece tanto nos romances de época que eu costumo ler (que são bem hot), então acho que ia curtir ter uma experiência diferente.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  11. É triste quando os personagens não transmitem emoções, parece meio fraco. Primeira resenha que vejo desse livro, mas até que a narrativa parece doce e envolvente.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  12. Hey Aléxia! Tudo bem?
    Não conhecia esse livro e confesso que não sou de ler romances, mas é muito bom quando vc está gostando tanto da leitura que alguns pormenores não afetam a opinião, como a descrição dos detalhes por exemplo.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  13. Oiê,
    Não conhecia o livro, mas premissa é ótima!
    Adoro quando o casal fica se provocando na história, acho que trás uma certa diversão para a trama.
    Dica anotada com certeza!

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, Aléxia!

    Ainda não conhecia o livro, mas já quero muito ler! Sou doida por romances de época, e esse parece ser maravilhoso, ainda mais que pela sua resenha você se apaixonou total pela história hahah fiquei bem curiosa pra conferir!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Poucos romances de época conseguem me conquistar. Mas, eu gostei muito de conhecer esse por que pelo que me parece o romance se desenvolve bem.
    Gostei muito da resenha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  16. Esses romances que começam entre farpas costumam nos conquistar né? Além disso, quando há histórias de perda e dor, eu já fico ainda mais presa a leitura. Gosto de romances assim, que vão acontecendo aos poucos, até porque tá cheio de romance instantâneo por aí, e isso não me agrada nada. Vou ficar de olho nesse livro como boa amante de romances de época que sou. Obrigada pela dica. bjs

    ResponderExcluir